Café e Cultura

Café gourmet: o que é e seus diferenciais

cafe-gourmet-o-que-e-e-seus-diferenciais

Há uma enorme banalização do termo gourmet hoje em dia, ou seja, muitas marcas de alimentos utilizam a palavra apenas como uma jogada de marketing e não para firmar um atestado de qualidade. No entanto, isso não acontece em relação ao café gourmet, que realmente é superior em relação aos demais tipos de grãos.

Ao optar por adquirir um café gourmet você estará consumindo uma bebida de qualidade elevada, que passou por um processo muito mais cuidadoso e exclusivo, desde o cultivo até o armazenamento.

Existem vários tipos de cafés além do gourmet, como por exemplo, o tradicional, o superior e o especial. Para você que deseja mergulhar neste universo, continue a leitura, pois vamos detalhar as características do gourmet e ressaltar seus diferenciais em relação aos outros grãos.

Vamos lá?

O que é o café gourmet?

Primeiro, vale compreender melhor o que é um café gourmet. Por que é de alta qualidade e exclusivo? Devido às suas condições de cultivo, colheita, armazenamento, torra e demais processos pelos quais passa antes de chegar às prateleiras das lojas. Como consequência, possui um sabor mais acentuado, levemente adocicado, intenso e um aroma envolvente.

Diferente dos cafés comuns, que misturam grãos de arábica e robusta, o café gourmet é feito de grãos 100% arábica, ou seja, de altíssima qualidade, pois a espécie arábica oferece cafés com características singulares. Todo o processo pelo qual o grão passa até chegar à sua xícara é extremamente cuidadoso. Além disso, conta também com uma embalagem mais sofisticada e preço elevado.

Um café gourmet, portanto, possui grãos com muito menos defeitos. Enquanto em outros tipos você encontra grãos quebrados, ocos, verdes, pretos ou mal granados, o 100% arábica gourmet não pode ter este tipo de qualidade variável.

A classificação do café gourmet pela ABIC

cafe-gourmet-o-que-e-e-seus-diferenciais-ABIC

A ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) fornece alguns tipos de certificações para os cafés. Para chegar ao gourmet, ele deve ser submetido ao Programa de Qualidade do Café, criado em 2004, que tem como objetivo atestar a qualidade do produto por meio de uma metodologia de análise sensorial. 

Os atributos do café são avaliados em diferentes aspectos e os provadores credenciados da ABIC são treinados para captar cada nuance da bebida. A percepção conjunta de todos os critérios é chamada de Qualidade Global, que classifica o café em uma escala de 0 a 10. Dessa forma, é definido se é tradicional, superior ou gourmet.

Entre os diversos critérios avaliados pela ABIC, confira abaixo alguns dos principais:

Corpo: é a sensação causada na boa pela persistência no paladar e um café gourmet pode ser classificado como corpo médio, corpo leve ou encorpado.

Aroma: aqui, os avaliadores identificam por meio do olfato as características frutadas, achocolatadas, florais ou cítricas. Um café gourmet possui um aroma pronunciado.

Doçura: os cafés gourmets têm doçura acentuada, com notas de chocolate, mel ou caramelo. A doçura é avaliada na ponta da língua, podendo ser nula, baixa ou alta.

Acidez: percebida nas laterais da língua, a acidez sofre influência da torra.

Amargor: se manifesta no meio da língua e na garganta. O amargor não é de todo indesejável, deve ser equilibrado.

Finalização: é o sabor agradável e prazeroso que fica na boa depois da degustação do café. 

As três categorias do Programa de Qualidade do Café

O Programa de Qualidade do Café conta com três categorias de nível de qualidade: tradicional, superior e gourmet. Cada uma recebe uma nota de 0 a 10, sendo:

  • tradicional – nota igual ou maior a 4,5 e inferior e 6;
  • superior – nota igual ou maior a 6 e inferior a 7,2;
  • gourmet – nota igual ou superior a 7,3 e inferior a 10.

Vale pontuar que caso a nota do café seja inferior a 4,5 ele não é recomendado. O selo de qualidade do Programa de Qualidade do Café informa ao consumidor as características do café: tipo de grão, bebida, torra, moagem, sabor, aroma e corpo.

O que é um café tradicional?

Como você percebeu por meio da escala da ABIC, os café tradicionais têm qualidade inferior. São de uso diário e compostos por café arábica com muitas imperfeições. São, portanto, vendidos a preços mais acessíveis.

O café tradicional se caracteriza por uma moagem mais fina e uma torra bem escura, que tem como objetivo disfarçar os defeitos dos grãos. Sabe aquele cafezinho preto da padaria? Este é o café tradicional.

O que é um café superior?

O café superior já tem uma qualidade mais elevada e sabor acentuado, mas sem atingir o patamar do café gourmet. 

Com maior valor agregado, é melhor do que o tradicional, pois tem sabor mais refinado, aroma agradável e gosto persistente na boca. Além disso, não deixa de ter um preço acessível para o consumidor.

Qual a diferença entre o café gourmet e o café especial?

Como você já aprendeu anteriormente, existem diferenças entre cafés tradicionais, superiores e gourmets. No entanto, uma dúvida muito recorrente é em relação às diferenças entre o café gourmet e especial.

Ambos são de alta qualidade e exclusivos e passam por análises criteriosas ao longo do processo de produção. O gourmet é a maior classificação da ABIC, enquanto o especial é o café melhor avaliado pela SCA (Specialty Coffee Association). A única diferença, portanto, é na forma de avaliação.

Os cafés da ABIC contam com uma pontuação de 0 a 10, enquanto os avaliados pela SCA vão até 100, sendo necessário ter pelo menos a nota 80 para ser considerado especial. São avaliados os seguintes atributos:

  • fragrância;
  • ausência de defeitos;
  • uniformidade;
  • sabor;
  • doçura;
  • acidez;
  • corpo;
  • finalização;
  • harmonia;
  • conceito final (impressão geral sobre o café).

Como o café gourmet é produzido?

cafe-gourmet-o-que-e-e-seus-diferenciais-colheita

Por fim, vale entender um pouquinho sobre o processo de produção do café gourmet. De uma forma bem geral, ele passa por três principais etapas:

  • plantio do café – momento em que os grãos acumulam boas substâncias;
  • manutenção – colheita, beneficiamento dos frutos/grãos e armazenamento;
  • potencialização – torra, empacotamento e preparo da bebida.

Para saber mais detalhes sobre o processo de produção dos cafés, leia também: Grãos de café – do cultivo à xícara

Vale ressaltar que todos os processos do café gourmet são muito criteriosos e cuidadosos, pois são grãos de altíssima qualidade.Gostou do conteúdo? Então chegou a hora deconhecer os cafés gourmets da Delgrani: café gourmet moído e café gourmet em grãos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *